segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

AS TETRADS DE 2014 E 2015, OS JUDEUS E ISRAEL.

 

"Aparecerão sinais no sol, na lua e nas estrelas..." (Lucas 21:25)


Este é um assunto potencialmente polêmico, contudo deveras interessante e merecedor da reflexão e análise da parte de todos aqueles que levam a sério as profecias bíblicas relacionadas com Israel como nação, e os judeus como povo eleito de Deus.
Várias pessoas amigas me pediram para que eu postasse o estudo sobre este assunto, ao que alegremente acedo, pedindo no entanto que o mesmo seja lido e estudado, não em forma de dogma ou afirmação de um absoluto bíblico, mas simplesmente como algo de incontestável interesse e fundamento histórico, que deverá servir unicamente para meditação, reflexão e, mais do que qualquer outra coisa, preparação para os tempos atribulados que velozmente se aproximam deste mundo.
Estas análises serão assim mais um "sinal" de alerta, uma orientação para todos quantos anseiam pela vinda do Reino e do Messias Jesus!

OS ASTROS COMO SINAIS

Desde o início da Criação que o Livro das Origens (Génesis) nos

informa que Deus, o Criador, colocou as estrelas e os astros nos céus como"sinais" - Génesis 1:14.
"Disse Deus: haja luminares na expansão dos céus...e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos."
Neste sentido, "sinais" podem servir como pontos de orientação, mas também como "alertas" indicadores de eventos significativos.


TRÊS GRANDES EVENTOS ANUNCIADOS NOS CÉUS
Os maiores eventos da humanidade são aqueles em que Deus Se manifesta de forma visível, para que todos testemunhem do Seu poder e amor.

Assim foi no anúncio da encarnação do Messias - o Filho de Deus - em Belém da Judéia. Os magos que vieram da Babilônia para adorar o Messias encetaram essa longa e arriscada viagem porque tinham visto o"sinal" nos céus: "...porque vimos a Sua estrela no oriente, e viemos a adorá-l'O...vendo eles a estrela, regozijaram-se muito com grande alegria." (Mateus 2:2 e 10).

O segundo grande evento assinalado nos céus, foi a própria morte do Filho de Deus no madeiro. Diz o relato bíblico que durante 3 horas houve um grande eclipse que provocou escuridão no local: "Desde o meio dia até às três horas da tarde, toda a Terra esteve envolta em escuridão." (Mateus 27:45). Clara descrição de um eclipse.
O terceiro grande evento, ainda num futuro que esperamos seja próximo, acontecerá logo antes da vinda gloriosa do Messias, o Filho de Deus ressurreto: "O sol escurecerá, a lua não mais brilhará, as estrelas

LUA VERMELHA SOBRE JERUSALÉM

cairão do céu, e os poderes celestes serão abalados. Então o sinal do Filho do Homem aparecerá no céu..." (Mateus 24:30, 31).
Há então uma base bíblica para prestarmos atenção a estes sinais cósmicos? Claro que sim! A encarnação, a morte expiatória do Messias, e a Sua vinda gloriosa para reinar na terra são a prova disso. Ora é nessa base que a nossa atenção foi despertada pelos estudos de alguns homens de Deus, e que nós próprios também pesquisamos  e desenvolvemos com muita atenção e cuidado, na expectativa de algo de transcendente que poderá em breve vir a acontecer, e para o que queremos estar preparados e avisados, não descurando também a partilha desta informação a todos quantos se interessam, se preparam e aguardam ansiosamente a vinda do Rei, o Messias Jesus!
Falemos então das "tetrads"...

O QUE SÃO ENTÃO AS TETRADS?

Uma tetrad é a ocorrência de quatro eclipses totais consecutivos da lua (definição da NASA).

Sempre que há uma coincidência - muito rara - das chamadas"luas vermelhas"(tetrads) com o período das Festas de Israel, dão-se acontecimentos dramáticos com o povo e a nação de Israel . A História tem comprovado que essas coincidências de luas vermelhas com as festas judaicas trazem desgraça para Israel e para o povo judeu, mas consequentemente uma grande vitória. Podemos então adiantar que as tetrads são sinais indicadores para Israel? Claro que sim!

Alguns exemplos:

Desde o ano 1 d.C. são conhecidas 7 tetrads que ocorrem no início da celebração da Festa bíblica da Páscoa e da Festa dos Tabernáculos. Os anos em que ocorreram estas tetrads são:

162-163

795-796

842-843

860-861

1493-1494

1949-1950

1967-1968

AS 3 TETRADS ASSOCIADAS A CONHECIDOS EVENTOS IMPORTANTES PARA O POVO JUDEU:

1492 - tetrads - expulsão dos judeus de Espanha.


1949-50 - tetrads - Dois eclipses lunares totais, sendo o primeiro na Festa da Páscoa (13 de Abril) e o segundo no dia da Festa dos Tabernáculos (7 de Outubro de 1950) em pleno início do estado moderno de Israel e durante a Guerra da Independência, que se estendeu por um ano. Em 1950, o primeiro eclipse deu-se no dia 2 de Abril, em plena Festa da Páscoa, e o segundo ocorreu em 26 de Setembro, na Festa dos Tabernáculos.


1967 - tetrads - Primeiro eclipse deu-se no primeiro dia da Festa da Pascoa (24 de Abril) , o segundo eclipse ocorreu no primeiro dia da Festa dos Tabernáculos (18 de Outubro de 1967) após a Guerra dos Seis Dias e consequente vitória de Israel e reconquista de Jerusalém. Em 1968, o primeiro eclipse da lua deu-se no dia 13 de Abril, na Páscoa, e o segundo ocorreu a 6 de Outubro, na Festa dos Tabernáculos.

AS TETRADS DE 2014 E 2015

A grande preocupação dos pesquisadores bíblicos e não só tem a ver com a estranha coincidência de 4 tetrads em 2014 e 2015 exatamente no início das festas judaicas da Páscoa e dos Tabernáculos!

Nas palavras do reconhecido pastor John Hagee, "isto é algo para além de coincidência."

Estes próximos 4 eclipses da lua serão raríssimos, uma vez que entre os séculos 22 e 25 não se dará mais nenhum destes eventos astronômicos! Portanto,durante os próximos 500 anos não se assistirá a mais nenhum destes fenômenos...

Mas, para além dos 4 eclipses da lua coincidindo com o início das Festas judaicas, teremos também 2 eclipses totais do sol no início do ano judaico (o bíblico e o religioso)!

ECLIPSE TOTAL DO SOL EM 2014 - 20 de Março, que é o primeiro dia do antigo calendário bíblico (1º dia do mês de Abib, ou Nisan)

PRIMEIRA TETRAD DE 2014 - 1º ECLIPSE TOTAL DA LUA - 15 de Abril de 2014, que será o primeiro dia da Festa da Páscoa judaica.

SEGUNDA TETRAD DE 2014 - 2º ECLIPSE TOTAL DA LUA - 8 de Outubro, que será o primeiro dia da celebração da Festa judaica dos Tabernáculos.

PRIMEIRA TETRAD DE 2015 - 1º ECLIPSE TOTAL DA LUA - 4 de Abril, que será o primeiro dia da celebração da Páscoa judaica.


ECLIPSE TOTAL DO SOL EM 2015 - 13 de Setembro, que será o primeiro dia do novo ano judaico.


SEGUNDA TETRAD DE 2015 - 2º ECLIPSE TOTAL DA LUA - 28 de Setembro, que será o primeiro dia da celebração da Festa dos Tabernáculos.

Segundo os gráficos da agência espacial norte-americana NASA, só este eclipse total da lua é que poderá ser visto em Israel. Mas será um dos mais longos eclipses alguma vez observados.Iniciar-se-à logo depois da meia-noite do dia 28 de Setembro e durará até às 04H48 (hora de Israel).

Quatro eclipses lunares totais a ter lugar exatamente nos primeiros dias das Festas bíblicas da Páscoa e dos Tabernáculos, em dois anos seguidos, é algo de espantoso - certamente muito mais do que uma mera coincidência!

Mas se juntarmos a isso os dois dias em que irão ocorrer 2 eclipses totais do sol nos dias exatos em que se inicia o calendário judaico (20 de Março de 2014 = 1º dia do mês de Nisan, 2 semanas antes da Páscoa, e em 13 de Setembro de 2015 = 1º dia do Novo Ano judaico, 1º do mês de Tishri) podemos perceber que algo poderá estar para acontecer, e que Deus mais uma vez está a revelar isso aos entendidos através de "sinais no firmamento"! "Nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão" (Daniel 12:10).

RECONQUISTA DE JERUSALÉM

Este fenômeno aconteceu pela última vez em 1949, ano seguinte à implantação do moderno estado de Israel, em cumprimento da profecia de Ezequiel 37, e em 1967/8, ano em que Israel reconquistou a Cidade de Jerusalém, cumprindo a profecia do Messias em Lucas 21:24!

Apesar do cepticismo de alguns "teólogos" que grassam por aí, a verdade é que o profeta Daniel, referindo-se a estes "tempos do fim", foi bem explícito: "...nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão." - Daniel 12:10.

ECLIPSE TOTAL DO SOL EM MARÇO DE 2014 E SETEMBRO DE 2015, COINCIDINDO TAMBÉM COM AS FESTAS NO CALENDÁRIO JUDAICO

Não só as 4 tetrads em 2014 e 2015 causam inquietação, como também um eclipse total do sol em Março de 2015, a meio das 4 luas vermelhas deve querer indicar algo de muito significativo, especialmente para o povo de Israel.

Sem querermos especular, devemos no entanto lembrar que a vinda do Messias Jesus dar-se-à após um eclipse total do sol, provocando a vermelhidão na lua.

Sendo assim, poderemos antever que estas próximas tetrads anunciam algo de inicialmente mau para Israel e seu povo, seguindo-se uma retumbante vitória ? Talvez...só Deus sabe, mas atendendo ao facto de Deus ter colocado os astros no firmamento como "sinais", e pela comprovação histórica, podemos prever que algo de importante e preocupante possa vir a acontecer a Israel. E as condições escaldantes da região alimentam ainda mais esses receios...


ISRAEL: UM "SINAL" PARA AS NAÇÕES

A Bíblia afirma que Israel foi escolhido por Deus para ser uma"luz" para as nações. Luz significa revelação, orientação e entendimento. A própria existência e sobrevivência do povo de Israel é o grande"sinal" de Deus, à volta do qual gira toda a História mundial. A bênção e a maldição das nações e dos povos - e até a nível individual - tem a ver com a forma como se trata Israel e o povo judeu - Génesis 12:3.


A "coincidência" destes sinais astronômicos vistos nos céus com grandes momentos da História de Israel é revelador de que estes próximos sinais a observar em 2014 e 2015 poderão estar a anunciar aos "sábios" aquilo que está para acontecer em breve a este mundo: a vinda do Messias em poder e glória e a implantação do Seu Reino literal na Cidade santa de Jerusalém, novamente o centro do mundo!

fonte: http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2013/11/as-tetrads-de-2014-e-2015-os-judeus-e.html

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O Sentido da Vida

 

Fotos da AD Jlle103

Texto: Gn 2.7 / S l 39.

“E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; o homem foi feito alma vivente.”

Introdução:

Muitas pessoas gastam boa parte da vida buscando algo que dê significado e sentido a ela. Um jornalista britânico escreveu: “Falando francamente, será que, antes de morrer, eu tenho tempo de descobrir por que nasci? Por que eu preciso saber o porquê do meu nascimento? Porque, é claro, não consigo acreditar que foi por acidente; e, se não foi, deve haver um significado[i].

A Busca pelo sentido da vida é algo sadio, normal e relevante. Os mais renomados psicólogos do século 20 reconheceram isso. Freud disse: “As pessoas têm fome de amor”. Jung afirmou: “As pessoas têm fome de significância” (Gumbel, p.23). Entretanto, o Senhor Jesus Cristo disse: “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” (Jo 6.35).

Então, qual é o sentido da vida?

 

I – QUE É A VIDA?

O modo mais fácil de descobrir o propósito de uma invenção é perguntar ao inventor” (Rick Warren)

Duas opções são propostas para se descobrir o sentido da vida[ii]. A primeira é a especulação, que, evidentemente, é a opção escolhida pela maioria das pessoas. Especular é simplesmente investigar por meio do raciocínio abstrato, é fazer conjectura, suposição não baseada em fatos concretos. A especulação procura entender por meio da razão, sem tomar medidas praticas.

Mas a melhor alternativa para o significado da vida é a revelação. Deus revela o verdadeiro sentido da vida. Temos que perguntar ao Criador por que Ele nos fez. Ela nada faz sem propósito. A Bíblia é uma espécie de “Manual do Proprietário”, explicando-nos a origem e o propósito da vida. O lugar mais seguro para encontrarmos a resposta sobre o sentido da vida está no livro do Autor da vida.

1 – A ORIGEM DA VIDA É DEUS

A Bíblia afirma que o mundo, por sua própria sabedoria, jamais conheceu a Deus (I Co 1.21). Isso que dizer que ninguém jamais chega ao conhecimento de Deus usando seus próprios meios ou pela razão pura. “Deus não é apenas o ponto de partida de nossa vida: Ele é a fonte da vida” (Warren, p.20). Aos religiosos de Atenas, o apostolo Paulo asseverou que é o próprio Deus “quem a todos dá a vida, respiração e tudo mais” (At17.25).

O Primeiro versículo da Bíblia diz: “No princípio Deus” (Gn1.1). Isso nos ensina que é sempre Ele quem inicia o diálogo. Mesmo após a queda do ser humano, foi Deus quem tomou a iniciativa de ir atrás do homem. Ele enviou o Seu Filho ao mundo não porque o mundo estivesse clamando por isso, mas porque o próprio Deus o amou de tal maneira (Jo 3.16). No final do Apocalipse, o Senhor Jesus Cristo se apresenta desta forma: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Principio e o Último, o Principio e o Fim” (Ap 22.13). Ele começou tudo, portanto, Ele vai terminar tudo. Exatamente como ele mesmo planejou (Is 46.9-10).

Quando as mulheres foram ao tumulo procurar Jesus, os anjos perguntaram-lhes: “Por que buscais entre os mortos ao que vive?” (Lc 24.5).

Elas estavam procurando o homem certo no lugar errado. Assim também quando as pessoas procuram na sabedoria popular, nos livros de auto-ajuda e nas tradições humanas a resposta para o sentido da vida, jamais acharão “a” resposta. Sem Deus a vida não faz sentido.

2 – O PROPÓSITO DA VIDA É A GLÓRIA DE DEUS

Agora que já sabemos Quem nos criou, precisamos saber para que Ele nos criou. Por quê? Como? “Você não criou a si mesmo, logo não há jeito de dizer a si mesmo para que foi criado!” (Warren, p.19)

Ao profeta Isaias, o Senhor Criador afirma sobre os seres humanos: “os que criei para a minha glória” (Is 43.7; cf. Is 43.21). Paulo, ao se referir à Pessoa eterna de Jesus Cristo, afirmou que “tudo foi criado por meio Dele e para Ele” (Cl 1.16). E aos romanos prevalece o mesmo ensino: “Porque Dele e por meio Dele e para Ele são todas as coisas. A Ele, pois, a glória eternamente. Amém” (Rm 11.36).

Imagine que você vai promover um evento, e seu propósito principal é exaltar a si mesmo. Qual seria sua estratégia? A resposta é simples: fazer com que você seja o centro de todas as coisas. Fazer com que todos os holofotes, todas as luzes estejam voltadas para si mesmo. E ai, no final, todos fiquem em pé e aplaudam você.

Assim também é Deus planejou a criação. O foco não é você, é Ele. Mas como Ele consegue fazer isso e não ser o maior egoísta? Justamente pelo fato de ser Deus. Ele é perfeito, você se esqueceu!? Só ele consegue criar tudo para a Sua própria gloria e ainda ter um amor ilimitado! Medite em Is 57.15.

Quando Paulo diz que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28), vale lembrar que, nesse versículo, a palavra “bem” não significa o “bem-estar” de cada um, mas o contexto indica seguramente que o apostolo se refere à imagem de Jesus Cristo que está sendo formada nos filhos de Deus (Rm 8.29). O propósito da vida não é a chamada “realização pessoal” ou a sua “felicidade”. É muito maior.

Quando Deus criou você, primeiramente Ele não pensou em você, mas pensou Nele mesmo. Se você guardar essa “chave”, irá abrir muitas portas preciosas durante a sua vida.

Se você se concentrar em si, jamais desvendará o propósito da vida. Você Foi feito pro Deus e para Deus e, enquanto não compreender isso, a vida não terá sentido” (Warren, p. 18-19).

3 – O SENTIDO DA VIDA É A PAZ COM DEUS.

Com a entrada do pecado no mundo, que trouxe a separação entre o homem e Deus (Is 59-2), a maior necessidade do homem passou a ser a paz com seu Criador.

Quando Paulo declara que “Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo” (II Co 5.19), está nos ensinando que a reconciliação, isto é, “voltar a ter a amizade perdida”, era o propósito principal de Deus, por meio de Cristo.

A paz com Deus é o sentido da vida, porque quando a temos estamos em condições de receber todo o favor e as bênçãos do Senhor. As promessas da palavra de Deus são para Seus filhos, e estes vivem em paz com o Pai (Rm 5.1). Aqui vale a famosa frase de Agostinho: “Tu nos criaste para Ti, e o nosso coração vive inquieto, enquanto não repousar em Ti” (Confissões, p.23).

A Bíblia afirma que nem um ser humano por si mesmo tem paz. Ela é algo que sempre vem de Deus.

Isaías 26.3 declara: “Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti”. Percebeu como a paz está relacionada à confiança em Deus? Aos Efésios, Paulo diz que Cristo é a nossa paz, Ele fez a paz, e Ele evangelizou a paz (Ef 2.14,15,17). E, em João 14.27, Jesus falou sobre “a minha paz”. Enquanto não tiver paz com Deus, o homem não terá paz consigo e com o próximo, e, por isso, não encontrará o sentido da vida. A angustia e a inquietação no coração não lhe permitirão compreender a realidade da vida.

 

II – POR QUE DEUS CRIOU O HOMEM?

Afirma-se que alguém disse a Albert Einstein: “Deus não joga dados”. “É verdade”, respondeu o célebre cientista, "mas certamente Ele joga xadrez”. A interpretação é simples. Quem joga dados depende da sorte; mas quem joga xadrez usa estratégias. Deus não fez nem faz alguma coisa sem propósito. Ao criar o homem, por exemplo, podemos destacar três propósitos:

1 – CRIADO PARA SER ETERNO

Ao afirmar que Deus colocou a eternidade no coração do homem (Ec 3.11), o autor de Eclesiastes está informando que o homem foi criado para algo mais do que a roda-viva da vida. Deus colocou dentro de nós o conhecimento de que este mundo não é suficiente. Um historiador russo escreveu: “Dê ao homem tudo o que ele quer, e logo ele verá que o tudo não é tudo”.

O conceito de eternidade é necessário para dar significado ao sentido da vida. Por quê? Porque o Deus que nos criou é conhecido como “O Eterno”. E qualquer principio de doutrina cristã que retire a idéia de eternidade está tirando a sua essência. “Começou” é uma palavra que indica tempo e não tem significado pessoal para o Altíssimo que habita a eternidade.

Somos quase que obrigados a acreditar que Deus não nos criou para sermos joguetes num mundo passageiro, Não somos existencialistas. A vida não termina com a morte. O fim da circulação sanguínea e a ausência total de respiração não decretam o fim de tudo. A eternidade de Deus nos convence que a fé em Jesus Cristo, que é o Pai da Eternidade (Is9.6), não é uma opção. A vida eterna, que é uma qualidade e não somente uma quantidade de vida, foi o que Jesus mais prometeu durante Seu ministério terreno. Crer em Jesus significa ter a vida eterna (Jo 3.36; 17.3). Como disse um teólogo, “a fé orienta o homem para a eternidade”. O sentido da vida é a vida eterna.

2 – CRIADO PARA SER SANTO

Nem pense numa imagem “celestial” imóvel num canto da parede, ou numa pessoa legalista, e nem na serie de proibições para todas as áreas da vida. Essa não é a idéia bíblica de um santo.

Em que nos baseamos para afirmar que o homem foi criado para ser santo? A resposta é a mesma que estamos defendendo desde o inicio, ou seja, tudo começa em Deus.

Quando o Senhor pede santidade do Seu povo, declara que o motivo é Sua própria essência: “Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo” (Lv 19.2; I Pe1.16). A palavra hebraica para “santo” significa “cortar” ou “separar”. A idéia básica da santidade de Deus não é tanto uma qualidade moral de Deus, mas sim a posição ou relação entre Deus e alguma pessoa ou coisa. Assim, é dupla a idéia bíblica da santidade de Deus:

a- Ele é absolutamente distinto de todas as Suas criaturas e exaltado sobre elas em infinita majestade (Ec 5.2; Is 6.1-3; 57.15).

b- Jó 34.10 e Habacuque 1.13 descrevem que Deus não tem qualquer comunhão com o pecado.

Essa face de Deus, isto é, a Sua santidade, precisava ser mais enfatizada nas igrejas. Da mesma forma que não fomos criados para nossa própria gloria, também não fomos feitos para nos comportar conforme nossos próprios conceitos.

3 – CRIADO PARA SER SERVO

Ao coloca-lo no jardim do Éden, o propósito de Deus para o homem era “cultivar e guardar” (Gn2.15) esse jardim. Isso implica trabalho, serviço.

Muitos se esquecem que, ao confessar Jesus como seu Senhor, estão, naturalmente, se colocando também na posição de servos. E isto não é somente um titulo, mas uma posição que implicará deveres a serem cumpridos.

Em Efésios 2.10, lemos: “Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos” (NVI). Essas “boas obras” são todos os atos que fazemos em obediência à Palavra e voz de Deus em nosso coração.

Servir é cumprir o propósito de Deus ao nos criar, o que dará mais sentido à nossa vida. Aqueles que acham que os outros devem servi-los não encontram significado satisfatória, além de não estar seguindo o exemplo de Jesus, descrito em Marcos 10.45.

CONCLUSÃO

O fato de todo o sentido da vida começar em Deus, e não no homem, é um pensamento que revolucionou sua forma de ver a vida? Ouça a opinião de outras pessoas.

Por que a paz com Deus é fundamental para entender o significado da vida?

A eternidade no coração do homem, descrita em Eclesiastes 3.11, explica a constante busca do homem por “algo mais”? Por quê?

Em que sentido o sérico ao próximo ajuda na compreensão da razão de viver?


[i] Questões da Vida, Nicky Gumbel, Encontro Publicações, p.1.

[ii] Uma Vida com Propósitos, Rick Warren, Editora Vida, p.19.

Texto extraído da Revista Série Vida Cristã 4, Editora Cristã Evangélica.

domingo, 22 de setembro de 2013

DECISÃO

Hoje decidi mudar o meu viver, Viver para mim, pois achei que pelo meu viver era feliz mas a felicidade, não se resume na obrigação de viver, mas no fato de viver não como obrigação,  hoje decidi dá uma chance a mim mesmo, em escolher o que realmente quero. Eu preciso escolher o que eu quero, o que eu desejo, talvez ainda não sei o que fazer, mas precisamos decidir o que queremos, como saber? Se buscarmos uma vida melhor, buscamos varias coisas ao mesmo tempo, por isso talvez não conseguimos viver melhor, então o que buscamos? Buscamos tudo que está fora de nós.   E o que está fora de nós não nos pertence, devemos buscar o que está dentro de nós,  e o que está dentro de nós?
Esta é a nossa busca o que esta dentro de nós,  precisamos somente deixar o que está dentro de nós eclodir,  nascer, andar, correr e viver. Hoje resolvi mudar, da uma chance ao meu interior, deixar que o meu desejo nasça,  que  eu possa viver e viver de acordo com o meu desejo. Eu sou aquele que eu quero ser, preciso ser aquele que o Senhor quer que eu seja. Julio Caldeira

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

CGADB - Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil

6 AGE REALIZADA EM SÃO PAULO.

Foi uma bênção a última Assembléia Geral Extraordinária da CGADB, onde tomou decisões importantes que nortearão os rumos da Instituição nos proximos 100 anos.

domingo, 11 de agosto de 2013

Culto nos Lares

A Congregação de Jardim colorado, realizou neste último sábado o culto nos lares, na residencia de seu dirigente o Pr. Julio Caldeira, com a presenca de varios irmãos da Congregação, onde tivemos a graça presença de Jesus que nos abençoou ricamente.

sábado, 13 de julho de 2013

Assembleia de Deus Aribiri

Confraternização dos Dirigentes de Congregação

Com a presença de todos os dirigentes do campo ministerial da Igreja Assembleia de Deus do Aribiri na manhã do dia
13/06/2013 tivemos a grata satisfação de nos confraternizarmos e estreitarmos os laços que nos une em prol da Obra do Senhor.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

VENCENDO AS ESTRATERGIAS DO INIMIGO.

 

Texto: Ne 4.1-6

E sucedeu que, ouvindo Sambalate que edificávamos o muro, ardeu em ira, e se indignou muito; e escarneceu dos judeus. E falou na presença de seus irmãos, e do exército de Samaria, e disse: Que fazem estes fracos judeus? Permitir-se-lhes-á isto? Sacrificarão? Acabá-lo-ão num só dia? Vivificarão dos montões do pó as pedras que foram queimadas? E estava com ele Tobias, o amonita, e disse: Ainda que edifiquem, contudo, vindo uma raposa, derrubará facilmente o seu muro de pedra. Ouve, ó nosso Deus, que somos tão desprezados, e torna o seu opróbrio sobre a sua cabeça, e dá-los por presa, na terra do cativeiro. E não cubras a sua iniqüidade, e não se risque de diante de ti o seu pecado, pois que te irritaram na presença dos edificadores. Porém edificamos o muro, e todo o muro se fechou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar”.

INTRODUÇÃO:

1 – Tanto na vida secular como no trabalho do Senhor às vezes as coisas podem sair erradas, por motivos internos ou externos, às vezes somos insuficientes para a tarefa e falhamos em planejar como deveríamos ou surgem forças externas que não podemos controlar.

2 – Neemias, do ponto de vista interno ele fez tudo o que se podia esperar dele, já do ponto de vista externo a oposição surgiu de uma situação que ele não podia controlar.

3 – No capitulo 4 temos a oposição de fora contra a obra de restauração dos muros, os opositores se enfureceram e como Jerusalém encontrava-se cercada pelos seus opositores unidos e a cercando Sambalate (Norte), Tobias (Leste), os Arábios (Sul) os amonitas e os Asdoditas.

4 – Neemias mantia-se informado do que se passava em Samária e soube da fúria de seus opositores e do que eles intentavam realizar. Havia uma preocupação: “Uma Jerusalém poderosa significa uma Samaria deprimida”. Eles se utilizaram de varias armas, mas para cada arma utilizada devemos utilizarmos de um antídoto, uma resistência ao nosso beneficio.

EMENTA: Para vencer precisamos lutar. Como lutar contra forças tão poderosas?

I – A FURIA IMPLACAVEL DO INIMIGO -

1 – Iniciou com o escárnio. “Que fazem estes fracos Judeus?”

Tentou diminuir os Judeus.  O inimigo vai tentar de todas as formas e diminuir a sua intenção, o seu projeto, escarnecer é tratar você com desdém, desta forma tentará ele colocar primeiramente em você o descredito.  colocando duvida em se realmente temos condições de realizar os projetos que desejamos para a nossa vida, ele tentou supor aos judeus que a obra deles era sem importância pois eles eram sem importantes.

2 – Falaram mal dos judeus. “Restaurarão eles mesmos a cidade?”

Tenta mostrar que os judeus são egoístas e tinham segundas intenções. Ainda buscando o escárnio contra a vida dos judeus, eles insinuaram que a obra de reconstrução dos muros tinham uma outra intenção, queriam eram separar-se e não ficar mais no jugo do Rei Artaxexes.  O inimigo ele utiliza-se de vários instrumentos até pessoas próximas para tentarem insinuar que não conseguirá ficar de pé, caso um ente querido busca no Senhor a sua restauração, ou até mesmo uma pessoa que oramos pela sua salvação, logo consegue encontrar-se com o Senhor jesus Cristo, logo aparecerão aqueles que duvidarão de sua conversão e que isto é tudo fogo na palha, logo se acabará e voltará o que era antes.

3 – Menosprezaram os Judeus. “Ainda que edifiquem, vindo uma raposa, derribará o seu muro de pedra.” - Eles foram até Jerusalém e observaram os Judeus em seu trabalho, e criam uma atmosfera de duvida e que nada vai dar certo e é em vão o vosso esforço, criando o desanimo.

4 – Desanimo é logo contagiado – e ele aparece quando estamos na metade do projeto o que causa:

4.1: Fadiga“Os Trabalhadores já não tem mais forças”. Um corpo cansado causa um espírito esgotado e desalento. DEVEMOS DESCANSAR PARA EVITAR A IMOBILIZAÇÃO DO PROJETO.

4.2: Frustração: - “E ainda há muito entulho” não devemos olhar para os entulhos, devemos olhar para frente.

4.3: Fracasso: - “por nós mesmos não conseguiremos reconstruir o muro”. Quando você está esgotado tudo parece impossível.

4.4 – Temor: “Eu, nossos inimigos diziam: ‘ antes que descubram qualquer coisa ou nos vejam, estaremos bem ali no meio deles, vamos matá-los”. Eles nos induz ao medo.

II – O QUE SE DEVE FAZER

1 – Confie no Senhor. Neemias orou, não respondeu a afronta.  Não devemos responder as afrontas sofridas e sim mantermos o silencio pois não devemos degladia-los, pois a nossa luta não é contra carne e sangue e sim contra as potestades que se encontram nos ares.

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e suplicas com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus”. Fp 4.6,7.

1 – O deternismo e a Teologia Positiva são heresias que devemos combater, o crente terá problemas e dificuldades mesmo tendo o Senhor no centro de sua vontade, o que fará a diferença é a comunhão com Ele.

2 - Não subestime seus opositores. “Mas nós oramos ao nosso Deus e colocamos guardas de dia e de noite para proteger-nos dele”. Neemias conhecia seus inimigos, de modo que colocou guardas (Vigilância 24 horas). Temos que ter vigilância em todo o momento de nossa vida, em casa, no trabalho, na rua enfim em todos os momentos, não podemos vacilar.

Jesus disse: Vigiai e orai – Vigiar é a parte humana. Orar é a parte divina.

3 – Reforce os pontos fracos – “Por isso, posicionei alguns do povo atrás dos pontos mias baixos do muro, nos lugares abertos, divididos por famílias, armados de espadas, lanças e Arcos”. (Ne 4.16-20)

3.1 – Vocês deve saber onde é o seu ponto mais fraco – os que são mais vulneráveis e reforçam estes lugares.

3.2 – Havia comunicação interna e uma motivação para ajudar-se mutuamente os quando ajudava o seu irmão estava ajudando a si mesmo.

3.3 – Havia 03 alternativas:

- Abandonar tudo;

- Deixar de levantar o muro e ir lutar;

- Edificar os muros e armar-se para a defesa.

4 – Reafirmar o poder do Senhor. “Fiz uma rápida inspeção e imediatamente disse aos nobres, aos oficiais e ao restante do povo: Não tenham medo deles. Lembrem-se de que o Senhor é grande e temível, e lutem por seus irmãos, por seus filhos e por suas filhas, por suas mulheres e por suas casas”. (Ne 4.14)

Satanás deseja que você fixe o seu olhar no problema, se ele conseguir isto ele certamente ganhará a batalha. Você deve focar em DEUS.

5 – Não desista de seu labor. Siga em frente. A perseverança é a prova máxima da liderança. Nunca se dê por vencido.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

PORTAS RESTAURADAS

 muros

 

TEXTO: Ne 3

INTRODUÇÃO:

1 – Se os muros falam de nossa personalidade como um todo, há vários elementos nela contidos, dentre os quais a vontade que é o fator determinante para o progresso de qualquer restauração, libertação e cura. As horas são o lugar onde exercemos nossa autoridade, manifestamos nossa vontade, fazemos nossas escolhas e tomamos nossas decisões.

2 – Doze portas – doze áreas em nossa personalidade que precisam de tratamento. As portas são o lugar onde exercemos nossa autoridade, manifestamos nossa vontade, fazemos nossas escolhas e tomamos nossas decisões.

3 – Há muitos filhos de DEUS com a vontade enfraquecida. Não se firmam em nenhuma decisão tomada. São inconstantes em seus caminhos, inseguros, indecisos, suas portas.

4 – O ESPIRITO SANTO está em nós para restaurarmos as portas de nossa alma e nós precisamos permiti-Lo a realizar e isso não vai ser da noite para o dia.

AS 12 PORTAS DOS MUROS DE JERUSALEM.

 

I – PORTA DAS OVELHAS - Ne 3.1 - Encontro com o Cordeiro de DEUS.

1 – Local onde passava os animais para o sacrifício da Páscoa, ela nos leva a JESUS o Cordeiro de DEUS (Jo 1.29). É por ela que recebemos o Senhor JESUS, essa porta em nossa vida deve estar escancarada para JESUS, é uma decisão da nossa vontade, precisamos de uma convivência com Ele (Rm 8.29).

 

II – PORTA DOS PEIXES – (Ne 3.3) – Lugar de Crescimento e Reprodução.

1 – Na Língua Hebraica, encontramos o sentido de Crescimento a reprodução de nossas vidas em novos filhos, novos peixes, novas ovelhas, em novos crentes, a porta dos peixes por onde deixaremos entrar os novos filhos de DEUS. Exige uma decisão que não vivamos sós para nós, mas irmos à busca dos que também precisam encontrar JESUS, quando nos abrimos para receber cada nova pessoa, do jeito que ela vem, com muitos problemas na alma será abastecida e enriquecida. O amor de CRISTO vai nos iluminar e seremos capazes de assistir a um numero cada vez maior. Cada novo crente que entrar por ela, será abençoado, mas também deixará conosco uma benção. (Mc 1.17).

 

III – PORTA VELHA – (Ne 3.6) – Libertação do Passado.

1 – Esta porta fala das coisas velhas existentes em nossa alma, e que devem ser removidas: um passado que deixam marcas no caráter, memórias feridas que teimam em permanecer machucando, padrões de pensamento e hábitos alheios aos princípios do Reino de DEUS, enfim, tudo quanto é herança contraria à nova vida em CRISTO. (2Co 5.17/Ef 4.21-24/Ef 4.30)

Para se libertar dessas velharias mencionadas, depende de uma firme determinação da vontade de rejeitar, precisamos hoje é escancarar a Porta Velha, deixando por ela sair o passado e depois fechá-la para os hábitos e prisões antigas que tentem voltar à alma.

 

IV – PORTA DO VALE – (Ne 3.16) – O Milagre da Salvação.

1 – Nos arredores de Jerusalém havia um Vale que um dia fora o Vale de Hinon, ali os filhos de Israel passaram a sacrificar a ao deus Maloque, foi amaldiçoado e Jeremias profetizou que ele seria chamado “Vale da Matança” (Jr 32.35; 7.30; 8.3), Isaias o apresenta como um lugar escatológico de punição, onde o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará (Is 66.22-24). Ele passou a ser chamado de Geena, identificado como o fogo, morte e tormento. JESUS Faz referencia a ele, como figura do inferno. (Mc 9.43-48), neste vale era colocado todo o lixo da cidade que seria queimado. Havia sempre os vermes dos cadáveres e o fogo ardia constantemente. A Porta do Vale representa para nós a porta da libertação do inferno, o lugar do maior de todos os milagres: a nossa salvação. Ela deve está fechada para o diabo que tenta se introduzir na cidade, isto é, na alma, a destruição do Vale.

 

V – PORTA DO MONTURO – (Ne 3.14) – Remoção do Lixo.

1 – Esta é a porta onde o lixo da alma é removido e jogado fora. Quando chegamos a Cristo com uma alma cheia de defeitos, quando olhamos uns para os outros logo descobrimos que há muito a ser tratado. Um é explosivo, outro é fechado; um se fere com facilidade, outro é tendente à depressão; um manifesta egoísmo e um outro é orgulhoso. Tudo isto é lixo, resquícios dos padrões e valores do mundo.

 

VI – PORTA DA FONTE – (Ne 3.15) – O ESPIRITO SANTO.

1 – Fonte fala de águas que correm. Um dos símbolos do ESPIRITO SANTO na Bíblia é a água. Esta é a porta do ESPIRITO SANTO. Toda nossa vida cristã depende dEle. É Ele quem nos gera em CRISTO, efetuando a obra de regeneração. Ele nos foi dado como o outro Ajudador ou Consolador. Mas para que Ele opere em nós tudo quanto lhe compete, mas precisa do nosso consentimento, mediante uma decisão de entrega e submissão.

 

VII – PORTA DO CÁCERE – (Ne 3.25) – Livres de Prisões.

1 – fala-se do átrio ou pátio da prisão. Este é o lugar onde as nossas prisões devem ser quebradas, há muitas prisões em nossa vida que devem ser relaxadas. Prisões do medo, depressão, falta de perdão, amargura e tantas outras. Para muitos a comida, um pedaço de bolo, uma coca-cola, uma xícara de café, o sexo, a posição e coisas semelhantes, são uma prisão. Tudo quanto tem poder de fascínio ou domínio sobre nós é uma prisão. A tudo que dizemos “não consigo”, deixar isso, ou não fazer isso, ou viver sem isso, servimos como escravos. O ESPIRITO SANTO quer quebrar o jugo dessas prisões, para tanto precisamos dar-Lhe acesso ao pátio do cárcere e rejeitar todas as cadeias.

Paulo exorta “Para a liberdade Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão.” (Gl 5.1), as prisões da alma se manifestam na incapacidade de dominar os apetites da carne, nas carências afetivas, insegurança, acomodações, pensamentos descontrolados, dificuldade em tomar decisões, letargia, etc... há mil formas de prisões, mas todas tem uma só origem: Satanás.

 

VIII – PORTA DAS ÁGUAS – (Ne 3.26) a Palavra de DEUS.

1 – Essa é a porta da Palavra. Paulo, falando sobre JESUS e a Igreja, diz: “Tendo-a purificado com a lavagem da água, pela Palavra” (Ef 5.26), esta porta tem que está aberta temos que Le-la, escutá-la, meditá-la para que possamos ser lavados, purificados, doutrinas estranhas nos enchem de lama, sujeira.

 

IX – PORTA DOS CAVALOS – (Ne 3.28) Livres de cargas.

1 – Este lugar nos fala por onde passam os fardos. Era a porta onde entravam os cavalos cheios de cargas para a cidade. Todos os fardos devem ser lançados a JESUS e devemos também ajudar os nossos irmãos como disse Paulo “devemos levar as cargas uns dos outros” (Gl 6.2), isto não quer dizer que estas cargas devem repousar sobre nossos ombros. Todas tem o seu destino certo nas mãos de JESUS.

 

X – PORTA ORIENTAL – (Ne 3.29) O Regresso de JESUS.

 

1 – Acredita-se que por esta porta JESUS entrou em Jerusalém e que hoje se encontra fechada. Espera-se o Messias entre por ela, em sua segunda vinda. Para nos, ela fala do regresso de JESUS. Paulo diz que devemos consolar uns aos outros, com a esperança da bendita vinda do Senhor.

 

XI – PORTA DA ATRIBUIÇÃO – (Ne 3.31) A comissão Divina.

 

1 – ela é traduzida como “miphkad” que significa atribuição, mandato, ordem. Onde o Senhor nos delegou uma missão, atribui-nos uma responsabilidade.

 

XII – PORTA DE EFRAIM – (Ne 8.16) – A porção dobrada.

1 – Efraim foi o segundo filho de José (o mais novo), porem recebeu porção dobrada, seu nome significa: porção dobrada da herança, ela é a porta da porção dobrada, esta é dada por direito de primogenitura, na carta aos Hebreus 12.23 “Igreja dos primogênitos inscritos nos céus”. Porque somos os primogênitos: JESUS é o primogênito e nós somos o seu Corpo, um com Ele, e o que é Seu, é nosso em Oséias 11.8 “Como te deixaria. Ó Efraim?”, não há limites em DEUS. Somos nós que limitamos o que recebemos dEle. Seus tesouros, em Cristo estão disponíveis para nós.

 

CONCLUSÃO.

Como está a sua alma?

quinta-feira, 13 de junho de 2013

PERSONALIDADES RESTAURADAS

TEXTO: Ne 2.20a.

“Então lhe respondi: O Deus do céu é que nos fará prosperar; e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos...”

INTRODUÇÃO:

1 – Deus levanta um exército de filhos Seus, com o propósito de ser canal de Sua Palavra, amor e graça. A missão é de povoar o céu, sendo responsável pela grande colheita do tempo do fim.

2 – Para isto é imperioso que os filhos se tornem um testemunho vivo do poder de DEUS para transformar a natureza humana, esta transformação deve atingir o homem integral: espírito, alma e corpo. Um espírito redimido, uma alma restaurada e um corpo sadio.

3 – Uma das áreas mais negligenciadas, no entanto é a alma, ou personalidade.

4 – Nossa personalidade é o reflexo de heranças dos nossos pais, cultura, ambiente, experiências vividas e tudo quanto entrou para nossa formação, antes mesmo do nosso nascimento. Quando CRISTO entra em nossa vida, muda o sentido e a razão do viver, mas cedo descobrimos que o mundo da alma é complexo e carece de uma obra profunda, gradativa, que nos troque as marcas de uma personalidade doentia pelas virtudes encarnadas em nosso Senhor JESUS CRISTO.

5 – “Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina seu espírito do que o que toma uma cidade” Pv 16.32

“Como a cidade derribada que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito” Pv 25.28

O QUE REPRESENTA UMA CIDADE SEM MURO?

Representa uma cidade sem proteção, exposta a todo tipo de ataque do adversário, vulnerável.

Uma pessoa que não contem o seu espírito tem os muros de sua personalidade caídos ou cheios de brecha, o que permite invasão de forças inimigas.

Vivemos em dias quando o ESPIRITO de DEUS se move na Igreja com o propósito de restaurá-la, sará-la e embelezá-la, com o proposito de poder entregar ao Senhor JESUS a Noiva Gloriosa, como Ele mesmo deseja recebê-la, foi para isto que o ESPIRITO SANTO foi enviado.

“Cristo amou a Igreja e a sim mesmo Se entregou por ela,.. afim de santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela Palavra, para apresentá-la a Si mesmo Igreja gloriosa, sem macula, sem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.” Ef 5.25b-27.

I - A RESTAURAÇÃO DA PERSONALIDADE

1 – Assim diz Ciro, Rei da Pérsia: O Senhor Deus do céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá. Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém.” Ed 1.2,3.

O primeiro de todos os atos, antes de pensar em qualquer outra coisa, o lugar de culto deverá ser restaurado. Deus nos escolheu para fazer habitar em nós o Seu nome. “Somos Seus servos, a quem Ele resgatou com o Seu grande poder e mão forte.” Ne 1.10

Antes de trabalharmos na carne e ou na alma precisamos lidar com o nosso espírito. (O Coração de Israel era Jerusalém; o coração de Jerusalém era o templo; o coração do templo era o Santo dos Santos, nele estava à presença do Senhor representada pela Arca.

A experiência mais marcante em nossa vida é o novo nascimento, pelo qual o nosso espírito é recriado e se transforma no santuário de DEUS na Terra, onde Seu Espírito habita e onde se estabelece uma comunhão e comunicação com DEUS.

2 – A restauração dos Muros significa a restauração da nossa personalidade, para que o inimigo não encontre brechas para nos atacar. Satanás não tem acesso ao nosso espírito recriado, mas ele tem-no ao nosso corpo e à nossa alma, caso alguma brecha lhe seja dada.

O homem é tridimensional: ele é um espírito, possui uma alma e habita em um corpo. O Espírito tem consciência de DEUS; a alma tem consciência de si mesma; o corpo tem consciência da matéria. Com nosso espírito tocamos o reino espiritual; com a nossa alma o reino intelectual, emocional e volitivo; com o corpo o reino físico material. A SALVAÇÃO VISA ATINGIR ESSAS TRES AREAS.

O ESPIRITO SANTO recria nosso espírito, tornando-nos filhos de DEUS e participantes de Sua natureza, santuários habitados pelo próprio ESPIRITO. (Jo 1.12/ 2 Pe 1.4)

A Palavra de DEUS restaura a nossa alma, pela renovação da nossa mente, o que nos torna cada vez mais semelhantes a JESUS em nossa personalidade (Tg 1.21/ Rm 12.2)

Nós disciplinamos nossa carne, sujeitando-a ao nosso espírito, levando nossos membros a serem instrumentos da justiça e não mais do pecado. (I Co 9.27/ Rm 8.13)

3 Figuras no Livro de Neemias.

1 – Jerusalém é importante porque o nome de DEUS nela habita e foi escolhida por Ele.

2 – Na cidade foi construído o Templo, Lugar de adoração que, dada a sua importância, devia ser protegido. Nosso espírito é transformado no templo de DEUS, quando passamos pela experiência de novo nascimento o Seu ESPÍRITO HABITA EM NÓS. Por isso precisa ser protegido.

Uma História de Amor.

Uma passagem marcante que temos no Evangelho escrito por Lucas, no capitulo 10, sobre a indagação de "Um certo doutor da Lei" j...