domingo, 11 de abril de 2010

Uma resposta ao Pastor Ciro

Caro Pastor Ciro,




Aprecio muito o seu blog pela maneira de como aborda assuntos relevantes que nos faz uma meditaçao sobre o verdadeiro evangelho que devemos seguir, gostaria com a sua devida licença compartilhar o meu ponto de vista sobre o assunto em questao; a dor da perda de um ente querido e´ muito traumatico, muitas das vezes imperdoaveis e dificil de se explicar mas devo salientar que esta dor muita das vezes se torna tao repugnante que a vitima em questao nao aceita outra alternativa do que o imperio do odio, naturalmente que este odio foi simplesmente uma das circuntancias que a vida lhe presenteou, muitos sao as pessoas que sofrem desse mal. porem devo afirmar que este sentimento ainda alimentado no coraçao ele levara´ a pessoa um final muito triste diante do Senhor, pois nao podemos nutrir estes sentimentos se realmente desejamos alcançar o Ceu por intermedio de Jesus Cristo, por outro lado nao podemos querer justificar que pessoas que tinham indoles ruins nao venham ser transformadas e venham ser instrumentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, podendo ate´´ atingir o Ministerio, nao cabe a nos termos esta condiçao de analise, caso seja a nos, digo como Ministerio a condiçao para o exercicio do mesmo, mas mesmo assim a responsabilidade estaria naqueles que impunham a maos sobre as suas cabeças separando-os. Mas o cerne desta questao e´ sera´ que o Senhor nao utilizou pessoas que deliberadamente tiraram vidas inocentes ou provocaram e na provocaçao tiveram o reves de suas vidas ceifadas, nao querendo justificar qualquer forma de merecimento ao provocante pois a vida e´ um bem inalienavel dada pelo Senhor e somente Ele a tira, mas queremos lembra-lo ate´ o proprio Caim personagem que nos trouxe o primeiro homicidio sentiu-se que a sua vida, apos o assassinato seria de fugas e esconderijo, mas o Senhor impos uma pena maior para aqueles que o matassem Gn 4.15-16, temos o habito como ser humano de sermos bem mais vingativo do que devemos ser, nao fazendo qualquer defesa a ninguem, somente a causa de Cristo que e´ Misericordioso, temos tambem a situaçao de Moises que queria ver o seu povo livre e deliberadamente matou um Egipcio, Moises era um homicida e ninguem poderia tirar isto de sua vida, a nao ser o Senhor, talvez nos homens naturais nunca iremos compreender o Senhor, pois ele faz do rude, do perigoso, do homicida, um grande instrumento em sua mao, nao sabemos porque, mas esta e´ a sua pericia, mas o maior de tudo e´ que aquele que mata, rouba, ou comete outros delitos eles venham sofrer mais do que as vitimas, porque ninguem vai tirar isto deles, serao sempre fugitivos, escondidos dentro de suas faltas, de suas bestialidades, trarao sempre em suas memorias a sua fraqueza mais terrivel, ate que encontrem a Cristo que nao medem pela sua condiçao, nao julga por suas atitudes, nao analisa pelas suas faltas, mas olha pela sua pequenez fragilidade os contemplam e somente pergunta-os se querem aliviar de suas cargas? Nao quero aqui expressar uma reparaçao sem que haja uma consequencia pelos erros, mas o peso da culpa diante de Jesus Cristo nunca mais sera exigido pois ele certamente retirou para aqueles que reconhecem que a cruz e a coroa de espinho era para nos. a maior dificuldade que apresentamos e´ que os nossos sentimentos sao diferentes do Senhor por mais que tentamos aproximar dele, Jonas que o diga Jn 4.2. Mas volto ao principio se a vitima, aqueles que ficaram sem o seu ente sem o seu bem, na diferença que espera uma justiça deve sempre lembrar que Ele morreu na cruz por nossos delitos e que nao tinha culpa nenhuma mas o Senhor teve prazer no sacrificio apresentado pelo seu Filho Is 53, e´ duro mas este e´ o Evangelho da reconcialiaçao e da vida. que o Senhor Jesus venha sempre lhe abençoar em seu rico ministerio fique na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Uma História de Amor.

Uma passagem marcante que temos no Evangelho escrito por Lucas, no capitulo 10, sobre a indagação de "Um certo doutor da Lei" j...